Banner
Dependentes do crack já superam alcoólatras

Com R$ 15 se compra a droga em três pontos  diferentes do Centro de Ipatinga

Subproduto, considerado a droga da droga, o crack, é uma mistura da pasta básica de cocaína com bicarbonato de sódio, sólida em forma de cristal, que pode ser fumada. O resultado da queima da droga chega ao sistema nervoso central em 10 segundos, devido a área de absorção pulmonar ser grande. Chega rápido e gera sensação de alívio, bem estar e deixa o raciocínio lento. A dependência química é quase que instantânea. Considerado um mal social nesta primeira década do século XXI, o crack já é tratado como um problema de saúde, enquanto a Segurança Pública não encontra meios para barrar os traficantes que fazem chegar a droga às mãos, principalmente dos adolescentes.

Por R$ 15 e à luz do dia se compra uma pequena porção de crack no Centro de Ipatinga, em pelo menos três pontos: proximidades do Terminal Rodoviário, praça 1º de Maio e rua Nossa Senhora das Graças, antiga cracolândia, cujo prédio símbolo dessa praga foi desocupado, mas onde faltou um trabalho amplo para desarticular o tráfico. A necessidade de consumir mais e mais pelos dependentes estimula pequenos furtos, pois o viciado que pela manhã empregou os R$ 15 na primeira compra, precisará de outros R$ 15 a tarde para “abastecer-se” à noite.

Como resultado desse quadro, que se repete na maioria das médias e grandes cidades, uma pesquisa divulgada na quinta-feira (29) pelo Centro Mineiro de Toxicomania, instituição ligada à Fundação Hospitalar de Minas Gerais, mostra que em outubro, entre todos os internados no Centro, 38% são viciados em crack, 36% em bebida alcoólica, 12% em cocaína e o restante em outras drogas, como a maconha.

Segundo o balanço do Centro, a maioria dos usuários de crack confirmou que só se tornou viciado porque gostava da sensação prazerosa da droga e pela facilidade de encontrar o crack em qualquer lugar.

 
Vai começar tudo de novo

Nova eleição volta a gerar expectativas em Ipatinga

A decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), de confirmar mais uma cassação do segundo colocado na eleição 2008 em Ipatinga, Sebastião Quintão (PMDB) e seu vice, Altair Vilar (PSB), voltou a gerar expectativa da convocação de nova eleição para prefeito em Ipatinga. A esperança dos políticos aumentou ainda mais depois que o Tribunal Superior Eleitoral mandou retornar, na terça-feira, a eleição extemporânea de Baependi. Lá, a eleição foi suspensa pelo TSE dois dias antes do novo pleito, mas o caso foi novamente examinado e determinado o prosseguimento da eleição.

Mesmo sem a definição de Brasília, a Secretaria Judiciária do TRE deverá tratar da resolução para a nova eleição, assim que for publicado o acórdão, com a decisão da terça-feira-27 e julgados os embargos que a defesa de Quintão deverá apresentar antes de levar o caso para o TSE Brasília, pois o advogado especialista contratado por Sebastião Quintão, João Batista de Oliveira filho, confirmou que já prepara a defesa. E Quintão está otimista, segundo ele, em breve estará de volta.

 
Imbróglio eleitoral em Timóteo

Recurso Eleitoral 8589 deve ir a julgamento em breve no TRE-MG

O município de Timóteo não está livre de ter, ainda este ano, uma nova troca no comando do governo municipal. É que tramita já com parecer da Procuradoria Geral Eleitoral, o Recurso Eleitoral 8589, em que os advogados do prefeito Geraldo Hilário Torres (PDT) e seu vice, Wander Izaías Pinto (DEM) recorrem de cassação sofrida na primeira instância em setembro passado, por acusação de uso da máquina pública na campanha eleitoral de 2008, quando foi determinada a posse do segundo colocado na eleição em Timóteo, Sérgio Mendes (PSB) e o vice, Marcelo Afonso (PR).

O recurso tem como relatora a juíza Mariza de Melo Porto. Desde o dia 7 de outubro, quando foi protocolado no TER-MG, o RE 8598 teve movimentações quase todos os dias, conforme mostra o acompanhamento processual do TRE.  No dia 14 de outubro passado o processo estava concluso à relatora, mas no mesmo dia houve um pedido de vistas do advogado Rodrigo Rocha da Silva, julgado procedente pela juíza Mariza Porto.

O processo foi então retirado no dia 21, para devolução no dia 26, três dias úteis depois.  O advogado autor do pedido de vista atua no escritório do especialista João Batista de Oliveira Filho, ao lado dos advogados José Sad Júnior, Thiago Lopes Lima Naves e Igor Bruno Silva de Oliveira, os mesmos que atuam na defesa do prefeito cassado em Ipatinga, Sebastião Quintão (PMDB).

Se o recurso de Geraldo Hilário for negado no TRE-MG, Sérgio Mendes volta imediatamente ao cargo que ele chegou a assumir por 24 horas entre 8 e 9 de setembro passado. Antes do julgamento do mérito do RE 8589, o TRE deverá julgar a Ação Cautelar 164. Foi nesta ação, que no dia 9 de setembro, 24 horas depois de ter seu mandato cassado, Geraldo Hilário foi reconduzido ao cargo por meio de uma medida liminar expedida pela juíza Mariza Porto.

A tendência no TRE é que na AC 164 seja mantida a decisão anterior, da relatora, mas no mérito, que pode ser julgado em novembro, o resultado é uma incógnita.

 
<< Início < Anterior 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Próximo > Fim >>

Página 26 de 39

Publicidade

ot visao.jpg