Banner
Minas é segundo Estado com maior desmatamento, diz Ibama

O estado de Minas Gerais tem sido lembrado ultimamente em estatísticas positivas e que apontam para o crescimento. Mas quanto o assunto é meio ambiente, a reputação do Estado não é tão boa. Segundo o diretor da regional de Governador Valadares do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Minerais), Cláudio de Paula Batista, Minas é o segundo Estado que mais desmata no Brasil.

Uma mostra da afirmação do órgão, foi a realização da Operação Jequitibá, de 12 de agosto a 5 de setembro, nas áreas de Mata Atlântica do Estado. O trabalho foi feito em parceria com a Polícia Federal, Polícia Militar Ambiental e Instituto Estadual de Florestas (IEF). “Ficamos assustados com esses dados porque a mata Atlântica é a maior biodiversidade do mundo e estamos perdendo ela”, declarou o diretor.

Um dos fatores apontado por ele como entrave para uma melhor fiscalização de crimes ambientais. Atualmente a regional, que atende mais de 200 cidades, conta com apenas quatro fiscais e três caminhonetes. “A qualidade de nossos profissionais ajuda a minimizar essa deficiência. Mas precisamos de mais investimento”, reivindicou Cláudio de Paula.

Ainda de acordo com o diretor, em nossa região são detectados crimes ambientais em diversas modalidades. Mas na última semana a diretoria registrou um crime inédito, com a repressão de extração de palmito em Governador Valadares. “Eles estavam conservando o palmito dentro da mata, gerando perigo para quem consumisse. Aplicamos multas e apreendemos o material. Os crimes ambientais na região têm aumentado muito”, finalizou o Cláudio de Paula.

 

 
Candidatos iniciam disputa pela PMI

 

 

 

Está dada a largada para as eleições extemporâneas em Ipatinga, marcada para o dia 18 de outubro. Os candidatos foram definidos nessa semana nas longas e polêmicas convenções. O prefeito interino Robson Gomes (PPS) vai liderar a Chapa ao lado da vice, pastora Márcia Perozzini (PSC), ex-secretária de Educação do governo de Sebastião Quintão (PMDB). A chapa conta com alianças com PTB, PRB, PR, PSC, DEM, e é claro o deputado estadual Alexandre Silveira (PPS), que foi muito cotado para a disputa. Ele garantiu que abriu mão da cabeça de chapa devido ao bom trabalho exercido por Robson, à frente da prefeitura interinamente. Conforme orientação do departamento jurídico do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), Robson pode disputar as eleições sem se licenciar do cargo. No entanto, os deputados e secretários devem se afastar do cargo para o pleito.

O PT vai de Lene Teixeira. O vice de Lene será Ivo José, que é atualmente assessor especial da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República. A escolha da candidata foi feita sob protestos por parte dos apoiadores de Cecília Ferramenta que foi derrotada na convenção do partido. A escolha do ex-deputado Ivo José como vice foi em função de sua história de luta nos movimentos sociais. Indignado com a derrota, Chico Ferramenta e Cecília resolveram apoiar a deputada estadual Rosângela Reis (PV), que ficou em terceiro lugar nas eleições de 2008. Os petistas indicaram o seu vice, Inácio Luiz Gomes de Barros, presidente do Partido Progressista (PP), ex-delegado Regional de Ipatinga. A indicação do vice consolidou um acordo entre o PV e o ex-prefeito Chico Ferramenta. Rosângela Reis lançou a coligação Frente Renova Ipatinga que, além do PV, conta com o PHS, PSDC e PP. Há também negociações com o PDT e o PC do B. O Movimento Ipatinga Unida (MIU) tem como principais nomes o prefeito cassado Sebastião Quintão e seu vice nas eleições de 2008, Altair Vilar (PSB). As mesmas alianças das eleições de 2008 serão feitas agora com PMN, PSOL, PSTU, PTN, PTC e PSDB. Os candidatos fizeram registros no final da tarde e início da noite de ontem.

 

 
Entidades buscam soluções para o Ceresp

Na última quarta-feira, estiveram reunidos no C4-Centro Comunitário Cristão do Cariru, vários representantes de diversos segmentos da sociedade, a convite do Pe. Geraldo Ildeu, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, para discutir e apresentar propostas na busca de soluções para a superlotação do Ceresp de Ipatinga. Representantes de Lions, Lojas Maçônicas, escolas, poder judiciário, Comissão dos Direitos Humanos da OAB, Apac, imprensa, associações de moradores, pastorais, diretores do Ceresp, entre outros.

A união de esforços junto às autoridades do poder público municipal e estadual será de suma importância para ajudar a solucionar problemas do dia-a-dia dos presos que vivem em condições subhumanas nas cadeias. No Ceresp de Ipatinga atualmente estão 496 presos, dos quais 65 são mulheres além de seis menores. Cumprindo pena (condenados) são 126 detentos. A capacidade do Centro de Remanejamento é de 156 presos. Numa sela que cabe 25 mulheres, estão lotadas 65. Em cada sela projetada para abrigar seis presos, estão vinte.  Dez presos são albergados e outros 28 de saídas temporárias.

Dentre as propostas de ação tiradas desse encontro (workshop) está o encaminhamento através de ofícios semanais, às autoridades competentes do Estado e do município, no remanejamento de condenados e menores, do Ceresp, o principal item da pauta de ações propostas. Outras ações são possíveis de imediato como: assistência às famílias dos presos, acompanhamento pelos poderes legislativo e executivo; convênios com entidades, órgãos públicos; doação de de remédios; construção de galpão para oficinas de trabalho, vagas para egressos do sistema prisional; horta comunitária; oportunizar atividades físicas e esportivas; políticas públicas na inserção na comunidade; projeto social na área feminina (corte e costura, maquiagem, pintura, manicure, cabeleireiro, artesanato), serão viabilizadas. A próxima reunião está marcada para o dia 21 de outubro, no mesmo local. Participação aberta a todos.

 
<< Início < Anterior 31 32 33 34 35 36 37 38 39 Próximo > Fim >>

Página 32 de 39

Publicidade

acil s.jpg