Banner
Jornal Classivale
Notícias

 
Notícias

 
Notícias

 
MANIFESTANTES COBRAM RAPIDEZ NAS OBRAS DA MG-760

No sábado-25 foi realizado em Santo Antônio da Mata um manifesto para cobrar do governo estadual a celeridade das obras dos 57 km da MG-760, que liga o Vale do Aço à Zona da Mata. Organizado por lideranças do “Movimento MG-760 Asfalto Já” e comunidades do entorno da rodovia, conseguiu o seu objetivado na opinião dos organizadores. Para o mês de setembro estão programados mais dois manifestos.

Iniciado às 7h30, com término às 12h, o manifesto levou a mensagem de que as obras não podem parar. Foram abordados 461 veículos, com média de 3 ocupantes cada. Destes, 145 veículos tinham o destino de cidades como Raul Soares, Ponte Nova, Rio de Janeiro, Viçosa, Juiz de Fora e outras.

“O Movimento discute a continuidade do cronograma da obra, porque a retomada do asfaltamento da MG-760 está completando um ano e a conclusão de apenas 8 km com asfalto. Desde o  final do ano passado, a empresa Tamasa reduziu a mão de obra de trabalhadores, parcela salários e retira máquinas da estrada”, relatou os coordenadores do Movimento, que destacaram que as informações que chegam até a eles, são de que o governo do Estado não está pagando a empresa.

Na opinião dos organizadores, as obras estão a passo de tartaruga há mais de um ano, e o governo do Estado insiste em dizer que os recursos para o empreendimento estão liberados. “O que estamos presenciando são demissões, morosidade das obras e  o parcelamento dos salários dos operários. O único trecho asfaltado foi concluindo em três meses. A partir de então, nove meses se passaram e a empresa que tinha o compromisso de asfaltar trechos de seis em seis km, está apenas fazendo movimento de terra”, afirmaram.

PERÍODO CHUVOSO

A preocupação das lideranças que acompanham de perto o desenrolar das obras se relaciona com o período chuvoso e com a possibilidade de perder 12 km de serviço de terraplanagem, que está praticamente pronto para receber o asfalto. “Todos os dias temos notícias de que a empresa Tamasa está atrasando os serviços porque o governo estadual não repassa pagamento. Essa falta de informação indica para nós população que as obras podem ser paralisadas assim que findar o processo eleitoral”, destacou um líder do Movimento, informando que os protestos na estrada irão acontecer até que alguém apareça para esclarecer a situação.

ENTENDA O CASO

A obra de pavimentação foi iniciada no dia 3 de setembro de 2013, e paralisadas no dia 1 de dezembro de 2014, por causa de uma ação movida por ambientalistas que questionaram pontos do licenciamento ambiental e exigiram o atendimento de condicionantes ambientais para proteger o Parque Estadual do Rio Doce, uma vez que a estrada corta um trecho da zona de amortecimento da reserva de mata atlântica.

Depois de aproximadamente quatro anos parada à espera de adequações ambientais, em outubro do ano passado, o asfalto começou a aparecer nos primeiros metros da MG-760, perto de Cava Grande e hoje se estende até Santo Antônio da Mata. A obra, de 57 quilômetros de
extensão, tem orçamento de R$ 110.930.599,83, conforme uma placa afixada em Cava Grande, custeada com recursos estaduais.

A previsão de entrega da obra é no fim de 2019. A sequência da obra agora dependeria da liberação de novos aportes orçamentários. A pavimentação da MG-760 entre Marliéria e São José do Goiabal (BR-262) é uma obra esperada há mais de 50 anos pela população do Vale do Aço.

 

 

 
CAMPEÃO COM LOUVOR

O Palmeiras se sagrou Campeão Brasileiro de 2018 por antecipação ao vencer o Vasco, em São Januário, no domingo (25) com um gol do complicado e polêmico atacante Deyverson, que mais uma vez saiu do banco para dar a vitória ao time. Uma aposta do técnico Felipão que acabou dando certo em quase todos os jogos. Indiscutivelmente o Palmeiras foi melhor em tudo, foi totalmente competitivo, invicto desde a chegada do treinador, 22 jogos sem perder e pode chegar aos 23 jogos se igualando às equipes de 93 e 94. Entre novembro de 1993 e outubro de 1994, o Verdão somou 23 partidas sem conhecer um resultado negativo. Nesse período, a equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo obteve 19 vitórias e quatro empates, conquistando o título nacional nas duas temporadas.

A façanha do Palmeiras em invencibilidade está na história do futebol brasileiro. A maior série invicta do clube em Brasileiros pertence ao lendário time de 1972/73, conhecido como Segunda Academia, que ficou 26 duelos sem saber o que é perder no torneio nacional. Assim como em 1993/94, o Verdão também foi bicampeão consecutivo nesses anos.

O Palmeiras campeão de 2018 - Então vejamos: Melhor ataque, melhor defesa, maior número de vitórias, garantiu também o status simbólico de o melhor visitante da competição com 52,6% o que corresponde a 30 pontos conquistados fora de casa, melhor segundo turno da história com 44 pontos ganhos em 18 partidas, nenhuma derrota e aproveitamento de 81% até aqui.

Protagonistas de uma bela campanha estão: Dudu considerado o craque do campeonato, o melhor jogador  da competição, além das assistências e sete gols, foi o mais participativo dos jogadores durante o campeonato. Weverton, Marcos Rocha, Thiago Santos, Felipe Melo e Edu Dracena no sistema defensivo. No frente, Willian Bigode, dez gols, Deyverson, nove, Bruno Henrique, oito. O técnico Felipão e a patrocinadora do clube, a Crefisa, completam a lista. Parabéns ao Palmeiras e a sua torcida - 10 vezes Campeão Brasileiro. “Enquanto bons times vencem jogos, bons elencos ganham campeonatos”, e o Palmeiras teve os dois. Isto também vale para o Cruzeiro.

A última vaga

O Universo conspira a favor do Atlético nessa sexta vaga que dá a pré-Libertadores.  Foi o time que mais permaneceu na sexta colocação. Beneficiado por derrotas e empates de adversários abaixo dele na tabela, não soube ganhar jogos fáceis em casa e outros fora, perdendo pontos preciosos para chegar ao G4 com mais tranqüilidade e aproveitar os tropeços dos clubes à sua frente. Mesmo com um elenco razoável, de jogadores de nomes que não corresponderam na maioria dos jogos, o time alternou muito na competição. Faltou esquema tático, definidores, bons jogadores de meio campo, elenco mais forte e competitivo. Resumo da ópera: um elenco maior e com mais jogadores qualificados em posições pontuais. Ficou nítida as ausências de bons laterais, zagueiro, armadores e homens de velocidade. Uma remontagem do elenco para 2019 é mais do que necessária para disputar títulos.

 

O Galo agora só depende dele para assegurar essa sexta vaga e amenizar a pífia campanha no ano. Joga contra o Botafogo, em casa, mesmo com a lotação máxima do Independência e a força da torcida para jogar junto, há uma desconfiança por parte de muitos, o Botafogo sempre foi um algoz na vida Galo. Esse fantasma tem que ser exorcizado com a vitória e a classificação.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 35