Banner

Geral


Seminário discute o Futuro da Mineração

A convite do presidente da ACMinas, Aguinaldo Diniz, o vice-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Antonio Carlos Arantes participou do seminário “O futuro da Mineração”, que apresentou palestras do presidente do conselho do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), Wilson Brumer, e do presidente da instituição Flávio Penido.

O encontro contou com a participação do vice-governador Paulo Brant, além de empresários, fornecedores e convidados...

O deputado Arantes participou da mesa de debates e defendeu uma reformulação da atividade no estado: “Nosso modelo de mineração é uma mina exaurida. Temos que recomeçar com outros parâmetros, que tragam mais segurança na exploração para que tragédias como as de Mariana e de Brumadinho possam ser evitadas. Não temos como fugir da nossa vocação. Minas sem agro e sem minério não é Minas”, afirmou.

O setor da mineração faturou no ano passado cerca de R$ 34 bilhões, sendo responsável por 8% do PIB brasileiro, gerando emprego e renda para mais de 2 milhões de pessoas. O país tem 9.400 empresas mineradoras, sendo que mais de 80% delas são micros e pequenas empresas. Somente 2% são consideradas grandes mineradoras.


Os produtos da mineração estão presentes em quase tudo que usamos. Só em Minas Gerais, são 82 tipo diferentes de exploração. O estado é o primeiro exportador mundial de nióbio e o terceiro em ferro e em bauxita. O setor é responsável por 60% do saldo da balança comercial mineira.

O presidente do Conselho do IBRAM, Wilson Brumer, falou da necessidade de reorganizar o setor, após o rompimento das barragens de Brumadinho e de Mariana. “Exploração mineral precisa de uma nova filosofia de trabalho. A começar, por uma agência de mineração forte, que contribua para a captação de investimentos estrangeiros. O Brasil poderia ser uma potência mineral, mas não é.

 

Arantes parabenizou o presidente Aguinaldo Diniz pela iniciativa: “Tive uma verdeira aula sobre mineração. Temos que aproveitar esse momento de liberdade econômica para convergirmos em torno da reestruturação do setor no estado. Somos parceiros e aliados em todas as ações que promovam o desenvolvimento de Minas Gerais. Contem comigo”. Encerrou.

 
Prefeito de Ipatinga recebe dirigentes de Rotary e governadora do Distrito 4521

Em contato com uma comissão de dirigentes do Rotary Club Ribeirão Ipanema, recebidos em seu gabinete na tarde desta quinta-feira (22), o prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, anunciou uma série de ações que serão desenvolvidas em diversas áreas da cidade.Também reafirmou o compromisso de manter e ampliar parcerias com os clubes de serviços e outros setores organizados da sociedade, responsáveis por importantes iniciativas, muitas delas voluntárias, voltadas para o bem-estar coletivo. Os rotarianos estavam acompanhados da governadora do Distrito 4521 de Rotary International (resultado da união dos Distritos 4520 e 4580), Cláudia Maria Lello Scaglioni, empossada em 6 de julho, em Belo Horizonte. A visita foi acompanhada pelo secretário municipal de Governo, Carlos Lima.

Ipatinga conta hoje com dois grupos de Rotary, o Rotary Club Ipatinga e o Rotary Club Ribeirão Ipanema, que passou a agregar em seus quadros também os membros do Rotary Club Norte e Rotary Club Archimedes Theodoro. O mandato é de um ano e o atual se encerra em julho de 2020.

Participaram da agenda com o prefeito, representando o Rotary Club Ribeirão Ipanema, o presidente José Ricardo Dias, Gustavo Lima (secretário), José Renato Mendes (tesoureiro) e Eduardo Rodrigues (coordenador da Comissão de Serviços à Comunidade), além da presidente da Casa do Rotariano, Elizabeth do Carmo Soares.

 
Caixa lança Linha de Crédito Imobiliário atualizada pelo IPCA

Produto permitirá redução das taxas de juros em relação às médias de mercado e valerá para financiamento de imóveis residenciais

A CAIXA lançou, nesta terça-feira (20), a linha de financiamento habitacional com atualização do saldo devedor pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A contratação de crédito imobiliário com índice de preços foi regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e seu enquadramento foi ampliado, na semana passada, para os financiamentos de imóveis residenciais no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), além do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI)...

De acordo com o presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, a alternativa de financiamento imobiliário com atualização pelo IPCA representa uma revolução no mercado. “É uma redução do custo do crédito, algo que a gente acredita que vai ter impacto no crescimento econômico dos próximos anos. Vai ter mais emprego, mais crédito e vai movimentar a economia”, diz o presidente.

A taxa mínima para imóveis residenciais enquadrados nos SFH e SFI será de IPCA+2,95% ao ano (a.a.) e taxa máxima será de IPCA+4,95% a.a. As taxas valem para novos contratos e já estarão vigentes a partir da próxima segunda-feira (26).

Os contratos de financiamento habitacional com atualização pelo indexador IPCA seguirão as seguintes condições: • Prazo máximo de 360 meses; • Quota máxima de financiamento de 80%;

A decisão quanto à aplicação da correção será do cliente. “A CAIXA oferecerá o crédito imobiliário corrigido pelo IPCA ou pela TR (Taxa Referencial). Outra vantagem desta operação é que a CAIXA vai poder vender parte desse crédito de uma maneira mais fácil. Vamos securitizar parte do que a CAIXA ‘originar’. Isso vai ser muito importante para o mercado de capitais”, diz.

As simulações já podem ser realizadas no site da CAIXA, onde o cliente pode comparar os juros e condições para o financiamento. As novas taxas variam de acordo com o nível de relacionamento do cliente com o banco.

 
Presidente da Usiminas encerra congresso do aço apostando na retomada da economia brasileira

O Congresso Aço Brasil 2019, realizado em Brasília (DF), teve um tom de otimismo, marcado pela confiança da indústria brasileira na retomada do crescimento econômico. No painel de encerramento do evento, “O Futuro da Indústria Brasileira do Aço – A Visão dos CEOs”, o presidente da Usiminas, Sergio Leite, também presidente do Conselho Diretor do Instituto Aço Brasil, afirmou que uma das principais alavancas para o futuro da indústria do aço é a volta do país à rota de crescimento. “Recentemente, passamos por uma recessão que vai ficar marcada para sempre na nossa história. A boa notícia é que o mercado projeta uma recuperação. Devemos voltar ao patamar pré-crise ao final do ano de 2021”, afirmou. Para o executivo, as reformas, especialmente a Trabalhista e a Previdenciária (já no Senado), além da Medida Provisória da Liberdade Econômica (MP 881/19), em fase de aprovação, e a expectativa das privatizações são um sinal importante desta retomada.

O Congresso Aço Brasil 2019, principal encontro do setor, foi realizado nos dias 20 e 21 de agosto e contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro no painel de honra do evento, quando comentou as medidas que vêm sendo adotadas pelo governo para contribuir com o aumento da competitividade da indústria brasileira. Os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Almirante Bento Albuquerque (Minas e Energia) participaram do congresso enfatizando a ampliação da parceria privada na estruturação do país. O encontro contou com a participação, também, de nomes como José Velloso Dias Cardoso, representante da Coalizão Indústria e presidente executivo da Abimaq, e do especialista em segurança Shakeel H. Kadri, que, em conferência especial, abordou a importância da gestão operacional de risco.

 
Notícias

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 66